top of page

Microplásticos

Pedaços de resíduos plásticos maiores quando expostos no meio ambiente vão sofrendo fragmentações contínuas e geram resíduos de plásticos cada vez menores, a comunidade científica nomeou esses resíduos menores de microplásticos. Logo, esse termo é utilizado para agrupar uma gama de diferentes materiais sintéticos poliméricos de tamanho menor que 5 mm, materiais que atingem o meio ambiente, na maioria das vezes, por conta do descarte inadequado. Eles também podem ser classificados em dois grupos principais, de acordo com sua origem:

1 – Microplástico primário: já foi produzido em tamanho microscópico para compor a formulação de determinado produto, denominado pela indústria como “pellet”. Esse material atinge o meio ambiente também por meio da perda acidental durante o seu transporte, portanto é comum encontrá-los próximos a portos, complexos industriais e em alto mar.

2 – Microplástico secundário: resultante da fragmentação de plásticos maiores descartados no meio ambiente, pode ocorrer tanto no ambiente aquático ou terrestre. Essa degradação ocorre por conta de fatores como a radiação UV, presença de oxigênio, mudanças de temperatura, umidade e a ação das ondas.

Esses materiais têm sido relatados por diversos estudos, em diferentes matrizes ambientais, a nível global e apresentam riscos físicos e químicos para os organismos na base da cadeia alimentar. Além do mais, foi relatado também que o microplástico está presente em produtos de consumo humano, como alimentos e bebidas, o que desperta grande preocupação, pois aliado a isso está o resultado de um estudo de cientistas do Reino Unido, que através de amostras indicaram que indivíduos de diversos países, como Japão, Itália e Reino Unido continham até uma dúzia de plásticos diferentes, além de partículas de policloreto de polivinila (PVC), polipropileno e polietileno tereftalato (PET) em suas fezes.

Outra problemática muito discutida e que ganhou grande repercussão na última década é o efeito dos plásticos nos oceanos e suas consequências para a fauna marinha. Um estudo feito por Sobral em 2011 avaliou a quantidades de plásticos nas praias, a seguir uma imagem de fragmentos plásticos coletados no litoral e organizados de acordo com suas dimensões:

Consequentemente o consumo de grandes quantidades de plásticos adotado pela sociedade atual vem sendo motivo de grande preocupação ambiental. Por isso, a gestão de resíduos plásticos é muito necessária, assim como a sensibilização e acesso à informação da população sobre a problemática, para que haja o desenvolvimento de novos modelos de consumo e a diminuição do uso do plástico, principalmente os de uso único.

Em vista disso, a GAAM Jr. oferece serviços de planejamento e gerenciamento de resíduos e educação e sensibilização ambiental, contate-nos para um diagnóstico gratuito!

Comentarios


bottom of page