top of page

Logística Reversa: O que é, Como Aplicá-la, seus Fatores Limitantes e Benefícios

Você já parou para pensar pra onde vai tudo que você compra quando esses produtos ficam vazios? Seu pote de shampoo, vidro de perfume, a embalagem da maionese, as folhas do seu caderno, entre tantas outras coisas. Como seria se ao invés de descartar, você devolvesse esse produto ao ciclo produtivo dele? De fato, a quantidade de lixo que geramos seria consideravelmente reduzida. Essa prática existe e é chamada de logística reversa, que de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, é definida como ‘’um instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada’’.

A logística direta ocorre de modo em que o processo para sua produção se inicia com o fornecedor e finaliza com o cliente ou consumidor final, enquanto na logística reversa, essa ordem se inverte.

Fig. 1 – Fluxograma de logística direta e reversa

Desta forma, pode-se dizer que a logística reversa tem como principal objetivo estabelecer a responsabilidade compartilhada sobre a geração dos resíduos, sendo uma alternativa muito interessante para diminuição do descarte de alguns produtos, possibilitando o retorno dos mesmos ao seu próprio ciclo produtivo.

Quem precisa realizar?

Existem alguns setores que são obrigados a estruturar e implementar sistemas de logísticas reversão, são eles:

  1. Agrotóxicos e suas embalagens;

  2. Eletroeletrônicos e seus componentes;

  3. Óleo lubrificante e suas embalagens;

  4. Pilhas e baterias;

  5. Pneus;

  6. Lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e de mercúrio, e de luz mista.

Como deve ser implementada?

Fig. 2 – Ciclo da logística reversa

A implementação do processo de logística reversa deve seguir os seguintes passos:

  1. Alinhamento de decisões com os objetivos estratégicos, táticos e operacionais do sistema de Logística Reversa com a missão da empresa, avaliação de custos e receitas do sistema;

  2. Selecionar as medidas de desempenho que melhor reflitam o desempenho do processo, com definição de metas a serem alcançadas;

  3. Implementação;

  4. Feedback do desempenho do sistema, com a finalidade de ajustar os objetivos às condições de mercado atuais ou substituí-los por outros mais adequados.

Fatores Limitantes

No entanto, assim como todo sistema operacional, a Logística Reversa conta com fatores limitantes, como custos, investimentos altos para a implantação, baixo interesse das cadeias produtivas e da população, complexo processo da gestão de membros, baixos incentivos fiscais e econômicos, além da falta de investimentos em infra-estruturas fiscais.

Contudo, é notório o descaso e pouca importância que grande parte da população atribui a enorme geração de resíduos. Segundo o site da Agência Brasil, em 2018, foram geradas 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos. Esse é um número alarmante, considerando principalmente que grande parte dos resíduos descartados poderia ser reciclado, reutilizado ou voltado ao início de sua cadeia produtiva, sendo essas grandes estratégias para a diminuição da quantidade de lixo gerada, que gera impactos ambientais em todas as esferas do planeta, como contaminação do solo, do lençol freático, do ar, e das águas.

Comments


bottom of page